Sabe aquele juju, geladinho ou sacolé (cada lugar tem um nome), que você chupava na infância? Eu por exemplo, além de chupar, vendia. Na minha rua era uma concorrência, todo mundo tinha uma plaquinha de “Vende-se Juju” no portão, e aí que ninguém acabava comprando de ninguém, a gente fazia pra vender e a gente mesmo tomava rs. Era muito divertido. A questão é que, vindo morar no Rio de Janeiro, vejo que no verão principalmente, na praia, em blocos de carnaval, ou em qualquer aglomeração de gente, lá está ele, o sacolé (como é chamado aqui no Rio). Mas foi na Praia do Flamengo que eu achei a melhor versão desse geladinho danado de bom. É o Sacolé do Donizete, ele tem uma equipe toda vestida de verde fluorescente que fica andando pela areia de ponta a ponta. Não conseguirei eleger o melhor sabor, porque todos que eu chupei, fui aos céus! A vontade é de pedir um atrás do outro, é meio incontrolável, e eu fico até com uma certa vergonha, porque acho um exagero, mas quando está calor, a minha vontade só aumenta e ninguém me segura. Foram eles de: açaí, goiaba, manga, graviola, lichia, côco entre outros. Se você está na praia, caminhando, tomando um sol ou dando um tibum, fique ligado nos verdinhos. Mas se você preferir, Donizete entrega em casa.

Sacolé do Donizete: Praia do Flamengo – Flamengo – Rio de Janeiro/RJ
Tels.: (21) 9.8330.5255 / 9.8576.7508 / 9.7641.5345 / 9.9849.0421. Nos dias mais quentes!
Recomendado por Ana Sol [que tinha a placa de "vende-se juju' mais linda da rua]

 


2 Comments

  1. Concita carvalho disse:

    Caracas, adoro sacolé. Vou conferir!

  2. Luiz Antonio de Farias disse:

    É o melhor sacolé, jamais visto em toda face da terra !!! Quando vou lá peço assim: ” Me dá um ruim aí, um que esteja encalhado “. Ele disse que ainda vai fazer um de jiló com quiabo, e olha que mesmo assim ainda pode ficar gostoso…
    Meus favoritos são os de fruta do Norte, graviola, cupuaçu, castanha do pará, mas o pêssego com salada de frutas vai muito bem, o amendoim é uma delícia, os mousses de maracujá, morango, enfim, quem não conheceu , quando conhecer vai se apaixonar. É só procurar o vendedor de roupa verde limão, e o cara ainda é bom de chinfra, como todo bom carioca.

Deixe seu comentário